SMDH participa da campanha nacional para frear a crescente violência no campo

A SMDH e dezenas de organizações sociais e sindicais lançam, com apoio do CNDH – Conselho Nacional de Direitos Humanos – a Campanha Contra a Violência no Campo: em Defesa dos Povos do Campo, das Águas e das Florestas.

A análise dos dados referentes à violência no campo nos últimos dez anos aponta crescimento gradativo, atingindo, nos últimos dois anos, 5,5 milhões de pessoas. Os assassinatos cresceram 75% e o trabalho escravo subiu 113%, em 2021. Participe do lançamento da “Campanha Contra a Violência no Campo: em defesa dos povos do Campo, das Águas e das Florestas”

Segundo análise da Comissão Pastoral da Terra- CPT – os dados referentes à violência no campo dos últimos dez anos apontam crescimento gradativo, atingindo, nos últimos dois anos, 5,5 milhões de pessoas. Os assassinatos aumentaram 75%, enquanto o trabalho escravo cresceu 113%, em 2021.

O lançamento será nesta terça-feira, 02 de agosto, de forma virtual e presencial. O lançamento é parte da programação do Seminário da 6ª Semana Social Brasileira nesta terça-feira, às 10h, em Brasília, podendo ser acompanhado de modo presencial ou pelas redes sociais das organizações que compõem a campanha e nos canais da SMDH no FACEBOOK e YOUTUBE .

Durante o lançamento serão apresentados relatos de casos de violência contra os povos indígenas, pela Aty Guasu (Grande Assembleia do povo Guarani e Kaiowá), do Mato Grosso do Sul, e também do Território Campestre, comunidade Alegria, do município de Timbiras (MA). Serão ainda apresentados dados atualizados sobre a violência no campo, sistematizados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) e pelo Conselho Indigenista Missionário (CIMI), e divulgação de uma Carta Compromisso contra a Violência no Campo, para que os candidatos e candidatas nas eleições de 2022 possam aderir.

FACEBOOK – https://www.facebook.com/smdh.vida/videos/?ref=page_internal

YOUTUBE – https://youtu.be/U_9M1r8xOCs

#BastaDeViolênciaNoCampo
#DireitosHumanos #ParticipaçãoSocial #ContarContraViolênciaNoCampo
Fontes: CNDH e CPT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *