Tag Archives: segurança publica maranhão

Organizações emitem Nota de Repúdio

Nota de Repúdio face às declarações do Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão.

As organizações subscritoras da presente nota vêm repudiar e manifestar indignação diante das declarações do Secretário de Segurança Pública do Estado do Maranhão, Jefferson Portela, prestadas durante entrevista a um programa policial veiculado na Rádio Mirante AM no dia 21.10.2021, num contexto de recrudescimento da violência na região metropolitana de São Luís, com a ocorrência de 3 assassinatos de policiais militares em menos de 30 dias.

O Secretário de Segurança Pública, na ocasião, declarou ao repórter Domingos Ribeiro que “bandido desarmado vai sentir o peso da força da polícia do Maranhão, que o comando é claro, para usar a força, neutralizar o bandido, ou ele se entrega ou ele é neutralizado pela intervenção policial”.

Não obstante, na noite do dia 21.10.2021, em diferentes bairros da periferia da Ilha de São Luís, sete pessoas foram executadas por homens armados em veículos e motocicletas, ação típica de grupo de extermínio. Outras várias pessoas ficaram feridas em razão dos disparos de arma de fogo.

Em 2017, segundo o Fórum de Segurança Pública, 110 pessoas foram mortas no Maranhão pela polícia. Nos últimos quatro anos, o crescimento foi de 79,4% com 386 mortes.  De acordo com o Atlas da violência 2019, foi realizado um levantamento no qual comprova-se que os negros são as maiores vítimas da violência no Maranhão, sendo que a cada 100 assassinatos, 91 são negras. Proporcionalmente, o Maranhão é o quinto com mais negros assassinados no país, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, Sergipe, Acre e Ceará.

De acordo com Atlas da Violência de 2020, 75,7 % das vítimas de homicídios no Brasil são negras. Na periferia dos Estados Brasileiros, a juventude pobre e negra é a principal vítima de homicídio. No artigo 1° do Estatuto da Juventude, Lei de n° 12.852/2013, são consideradas jovens as pessoas de 15(quinze) a 29(vinte e nove) anos de idade.  Das 7 vítimas que foram executadas na noite do dia 21.10.2021, todos eram homens, 3 tinham 18 anos, 1 tinha 20 anos, 1 tinha 21 anos e outra vítima 27 anos. Sete jovens executados por ação típica de grupo de extermínio!

As declarações do Secretário de Segurança do Estado do Maranhão e as sete execuções de moradores da periferia revelam que as forças de segurança pública foram conformadas para perpetuar a precarização e extermínio da vida desse segmento da população. Ademais, as declarações do Secretário de Segurança contrariam frontalmente a Constituição Federal, que estabelece a vida e a presunção de inocência como direitos humanos fundamentais.

De igual modo, assiste-se no Maranhão um violento processo de encarceramento da juventude negra. Atualmente a população carcerária do Maranhão é de 12.241 pessoas, de acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária, havendo um déficit de 1.2e34 vagas e, consequentemente, superlotação nas unidades prisionais do estado. A população carcerária no estado quase que dobrou nos últimos 10 anos.

As organizações signatárias defendem um modelo de Segurança Pública e Justiça Criminal assentado na participação democrática, no desencarceramento, no combate ao racismo, no combate à letalidade e desmilitarização das polícias.

Por fim, solicitamos às autoridades competentes a rigorosa apuração das 7 execuções ocorridas no dia 21.10.2021 e a responsabilização dos autores.

Assinaturas por ordem de ADESÃO:

  1. SMDH – Sociedade Maranhense de Direitos Humanos
  2. CPT – Comissão Pastoral da Terra – Maranhão
  3. CDH/OAB – Comissão de Direitos Humanos da OAB/MA
  4. MST – Movimento dos Trabalhadores/as Rurais Sem Terra
  5. UEMP – União Estadual por Moradia Popular
  6. CONAQ – Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Quilombolas
  7. Cáritas Brasileira Regional Maranhão
  8. CIMI – Conselho Indigenista Missionário – CIMI-MA
  9. APNs – Agentes de Pastoral Negros
  10. CPCDDH – Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos Padre Josimo
  11. CEDECA – Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Padre Marco Passerini
  12. Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Luís do Maranhão
  13. Regional Nordeste 5 da CNBB

São Luís do Maranhão, 29 de outubro de 2021