Nota de Solidariedade

A Sociedade Maranhense de Direitos Humanos – SMDH vem a público manifestar solidariedade à Casa Fanti-Ashanti e à sua Ialorixá mãe Kabeca de Xangô, ao tempo em que repudia os atos discriminatórios praticados contra o terreiro de Mina e Candomblé no último domingo, 24 de abril de 2022.

Ressaltamos que a liberdade religiosa é um direito humano reconhecido nacional e internacionalmente e seu respeito constitui ponto fundamental de afirmação da democracia, da diversidade e do pluralismo.

Entendemos que apesar de direcionados à Casa, tais ações refletem um estado de coisas que estrutura em determinados segmentos da sociedade ódio generalizado contra minorias étnico-raciais e povos e comunidades tradicionais, especialmente no atual momento de avanço do conservadorismo no Brasil.

Por esta razão exigimos não apenas que os autores dos ataques sejam responsabilizados na forma da lei, e que seja garantida a integridade física e psicológica dos membros da Casa Fanti-Ashanti, mas também que o Estado avance efetivamente em políticas de combate ao racismo religioso e de proteção dos povos e comunidades tradicionais de terreiro maranhenses e seus respectivos territórios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *